Como ensinar seu filho a se defender do amiguinho que bate?

Dudu foi pra escola com um ano e meio, e apesar de trabalhar em casa eu preferi colocá-lo na escola relativamente cedo, pois como na época, era filho único e sem primos na escola ele teria mais amigos para brincar.


Optei pelo horário da tarde, 4 horinhas apenas.


Dudu já está lá há 6 anos e agora é claro que adora, tem os amigos preferidos e se dá muito bem com todos. Porém, teve uma fase em que ele voltava da escola reclamando que algum amigo tinha batido nele, meu coração doía, minha vontade era ir lá e bater no tal amigo, rs (quem nunca?) mas eu sentava com ele, conversava e explicava para ele falar com a professora e com o amigo. Argumentei de todos os jeitos e a resposta era sempre a mesma: Eu falo e mesmo assim o fulano faz.


Esses episódios aconteceram VÁRIAS VEZES, eu conversei na escola e elas me tranquilizavam dizendo que as vezes eles estavam brincando e um amigo empurrava sem querer e eles interpretavam como se estivesse batido.


Bom, como eu observava muito e ele nunca chegou machucado, arranhado com roxo e nada disso, acreditava nas professoras.

Mas fui cansando dessa história e comecei erroneamente a dizer pra ele bater de volta, por que afinal se eu já havia tentado todos os argumentos e nada tinha funcionado que então ele desse o troco. (shame on me)


Um belo dia, durante o café da manhã Dudu disse de novo que fulano tinha batido nele no dia anterior e que ele não queria ir para escola.

Respirei fundo mas já não sabia mais como argumentar, esse assunto me incomodava principalmente por que não estava sabendo lidar e foi aí que meu marido teve uma brilhante idéia.

Filho, olha pro papai, tive uma idéia!

Se o seu amiguinho te bater hoje, o que acha de dizer pra ele "Você me bateu e eu não sou mais seu amigo, não gosto de amigos que batem".


Dudu, diferente de todas as outras vezes, ficou empolgado e com a mãozinha aberta e a palma da mão virada pro meu marido disse:


Papai vou fazer isso mesmo, tenho certeza que ele não vai mais me bater.

E foi assim, que ele NUNCA mais voltou da escola dizendo que tinha apanhado de algum coleguinha.

Às vezes a gente usa nosso senso adulto para tomar a frente da situação quando na verdade as crianças são tão mais bem resolvidas. Ele é um garoto super da paz e amor e o “bater de volta” não funciona pra ele, ele ficava frustrado toda vez que eu dizia pra ele se defender eu comecei a me preocupar por estar ensinando ele na base da violência e preocupada por ele fazer algo pra me “agradar” mas não se sentir bem com aquilo.


Então hoje o Dudu simplesmente dá de ombros para quem bate, e ainda diz com sua mãozinha espalmada: Eu não sou amigo de quem bate!


Por aí, como vocês lidam com essa situação?

0 visualização
  • Black Facebook Icon
  • Instagram Instituto Mãe
  • Pinterest Instituto Mãe
  • Preto Ícone LinkedIn

© 2019 Por Instituto Mãe - Todos os direitos reservados CNPJ 24.304.804.0001-42